Movimento de Mulheres reforça a necessidade de órgão específico para executar políticas públicas

Eu e demais vereadoras da Câmara Municipal de Curitiba tivemos hoje (20) uma importante reunião com o Movimento de Mulheres de Curitiba, após a Sessão Plenária. A pauta era referente a dois Projetos de Lei que pretendem alterar duas legislações para vincular a Política Municipal sobre Direitos da Mulher à Assessoria de Direitos Humanos e da incorporação desta política à Coordenadoria de Direitos Humanos do município.

O Movimento de Mulheres pautou que, não ter, pelo menos, uma Coordenadoria de Políticas Públicas específica para as Mulheres, diante da extinção da Secretaria Extraordinária, é uma grave omissão do poder público, já que é notória a violência praticada cotidianamente contra as mulheres. O pedido do Movimento de Mulheres é legítimo devido às especificidades e complexidades que envolvem a criação, desenvolvimento e execução de políticas públicas para atender mulheres em situação de violência.

Uma das principais questões apontadas pelo Movimento de Mulheres foi o alto índice de feminicídios, ou seja, nos casos em que o assassinato de mulheres ocorre pela condição de serem mulheres. Elas apresentaram dados alarmantes, que são provas cabais de que precisamos agir, tais como: a cada 4 minutos uma mulher é vítima de agressão, sendo que a cada 11 minutos uma é estuprada, ocorrendo até, não raro, estupros coletivos. Nosso país é o 7° no ranking de assassinatos de mulheres. Além da violência física, temos ainda as violações à integridade e à dignidade humana das mulheres, que são igualmente intoleráveis.

Dessa forma, o Movimento defende que acabar com um órgão que visa construir a igualdade entre homens e mulheres, que trata de questões seculares e emergentes, sem diálogo efetivo, é um disparate. Assim, nós vereadoras da Câmara Municipal de Curitiba ouvimos as representantes do Movimento de Mulheres de Curitiba e firmamos o compromisso de levar a pauta para discussão e para os devidos encaminhamentos na Prefeitura Municipal, logo após o recesso.

Fotos: Andréa Rosendo/ SISMUC

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*